Um Dito Circo


Fui numa festa esses dias. Era daquelas chiques, onde só a elite da cidade comparece. Ou quem se diz "elite". E eu fiquei ali no canto de espectador daquela estranha confraternização. Ninguém estava ali para prestigiar o anfitrião. Estavam ali para desfilar seus casacos de pele e maridos ricos. As solteiras puseram na vitrine seus corpos e falsos sorrisos. A VENDA, estava escrito em suas roupas minúsculas e extravagantes.

 Todos se deleitavam na abundância das mais caras bebidas. Não serei hipócrita em omitir que eu mesma exagerei tomando duas ou três doses a mais do que devia. Mas afinal como aturar aquele dito circo?

 Víamos palhaços em todo canto, aglomerando pessoas ao seu redor que riam alto de piadas sem graça e assentiam com a cabeça. Tinham também os malabaristas, aqueles que passavam de roda em roda se contorcendo para agradar a gregos e troianos. Muitas vezes, ou sempre se preferir, se contradizendo a depender de com quem estavam falando. Os melhores eram os macacos, tentando chamar atenção das formas mais ridículas possíveis.


 Como em toda festa houve uma hora em que o show acabou, a pipoca esfriou e a bebida esquentou, e o adorável público abandonou o salão deixando para trás sua própria sujeira para alguém limpar e nenhum aplauso.



Comentários

3 comentários:

  1. É desse modelo aí...

    ResponderExcluir
  2. Nossa amiga, não sabia que você escrevia...

    ResponderExcluir

Gostou? Deixe um comentário! =)
Caso não tenha conta Google, deixe como Anônimo e assine <3