A Verdade Sobre os Poemas

Quantas borrachas gastei
Quantas noites virei
Quantas folhas rasguei
Para escrever pra você

Sobre algo que não sei
Sobre vidas que não vivi
Sobre sonhos que não sonhei

Esó agora descobri
Que o que me faltou
Foi humildade
De perceber que um poema meu
Jamais será um Drummond de Andrade

Fuja do País das Maravilhas

Querida Alice,

Cansei-me dos teus sorrisos falsos
Cansei-me das tuas joias
Cansei-me das tuas roupas
Cansei-me das tuas bebidas e das tuas festas
Cansei-me desse teu aplique e dessas tuas lentes de contato
Cansei-me dessa tua gargalhada estridente que não combina com você
Cansei-me dessa tua família que posa pra foto, mas não se suporta
Cansei-me dessa tua cabeça colada nos rostos de quem você fala mal no domingo
Cansei-me dessa tua falsa postura de dama
Cansei-me desse teu falso moralismo e tua falsa modéstia
Cansei-me de você se vender como pedigree, sendo vira-lata
Cansei-me desse tua falta de realismo na vida


Pra você, minha querida Alice, só digo uma coisa:
Corre atrás do coelho, pois o relógio não para.

Filme: "Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos"

Gênero: AventuraAçãoDrama
Duração: 130 min.
Estreia: 23/08/2013
Direção: Harald Zwart
Roteiro: Cassandra ClareI. Marlene KingJessica Postigo
Distribuidora: Paris Filmes
Nota:


O filme baseado na obra de Cassandra Clare, Cidade dos Ossos, contou com nomes como Lily Collins, Jamie Campbell e Jonathan Rhys Meyers em seu elenco. A escolha de Lily como Clary, não poderia ter sido melhor. Ela soube como ninguém por nas telas, a Clary que os leitores imaginavam ao ler os livros. O único defeito foi a cor dos cabelos, que para mim, se fossem mais alaranjados seriam mais próximos dos da personagem.

A principio a escolha de Jamie Campbell como Jace não me agradou em nada. Eu achava que ele não tinha perfil para fazer o personagem e preferia mil vezes o Alex Pettyfer (que foi escalado, porém não aceitou o papel). Mas tudo mudou depois que eu assisti ao  filme. Você não só se acostuma com ele como passa também a gostar, afinal, fosse quem quer que fosse, não há como não amar o Jace.

Amei os efeitos especiais, os demônios ficaram muito bem feitos.
Mas para mim o roteiro acabou com o filme. Sim! Todo o bom trabalho do elenco e dos diretores foi - com o perdão da expressão - CAGADO por um roteiro muitíssimo mal feito. Para quem leu os livros, até que não fez muita diferença, afinal nós sabemos em que contexto as situações estavam ocorrendo. Mas para quem nunca leu os livros, ficou confuso, e parecia que estavam com pressa de explicar as coisas. Foram cortadas partes fundamentais para o entendimento, e muitas vezes adicionadas outras partes que levavam a adaptação para longe da essência do livro.


Sem contar aquele SPOILER que eles soltam no final do filme, né? Por favor!


Vou dar um desconto por ser o primeiro filme, mas espero que o próximo seja bem melhor que esse (e tenha outro roteirista, é claro).

Um Dito Circo


Fui numa festa esses dias. Era daquelas chiques, onde só a elite da cidade comparece. Ou quem se diz "elite". E eu fiquei ali no canto de espectador daquela estranha confraternização. Ninguém estava ali para prestigiar o anfitrião. Estavam ali para desfilar seus casacos de pele e maridos ricos. As solteiras puseram na vitrine seus corpos e falsos sorrisos. A VENDA, estava escrito em suas roupas minúsculas e extravagantes.

 Todos se deleitavam na abundância das mais caras bebidas. Não serei hipócrita em omitir que eu mesma exagerei tomando duas ou três doses a mais do que devia. Mas afinal como aturar aquele dito circo?

 Víamos palhaços em todo canto, aglomerando pessoas ao seu redor que riam alto de piadas sem graça e assentiam com a cabeça. Tinham também os malabaristas, aqueles que passavam de roda em roda se contorcendo para agradar a gregos e troianos. Muitas vezes, ou sempre se preferir, se contradizendo a depender de com quem estavam falando. Os melhores eram os macacos, tentando chamar atenção das formas mais ridículas possíveis.


 Como em toda festa houve uma hora em que o show acabou, a pipoca esfriou e a bebida esquentou, e o adorável público abandonou o salão deixando para trás sua própria sujeira para alguém limpar e nenhum aplauso.



Comentários